Henrique Silveira é presidente da UEFE desde 1995. Ele não é normal, veja só: é presbítero presbiteriano présbita (acredite, isso não é redundância), árbitro de futebol amador, publicitário e para piorar rio-branquense apaixonado, daquele que se irrita se perguntado sobre qual time grande torce. Apesar disso tudo, ele deixa bem seu recado para a galera da Copa Americana.

E-mail: falecom@copaamericana.com.br

Mais importante que Copa do Mundo

Numa conversa descontraída com alguns jogadores no começo de 2014 disse que a Copa do Mundo no Brasil seria a segunda competição mais importante daquele ano, atrás somente da Copa Americana. Todos riram. Eu insisti que falava sério e os sorrisos foram trocados por um olhar do tipo "Esse cara não está bem da cabeça".

Então desafiei os jogadores com apenas duas perguntas. A primeira foi, numa hipotética (e põe hipotética nisso) possibilidade de só uma das duas copas pudesse ser realizada, qual eles escolheriam. Deu Copa Americana por unanimidade. A justificativa foi que seria muito melhor jogar uma do que só assistir a outra. A segunda pergunta foi, também numa bem hipotética possibilidade, deles escolherem entre o Brasil ser hexa no Maracanã ou o time deles campeão no Centro Cívico. É claro que eles escolheram seus próprios times. Então eu só conclui: "Viram, a Copa Americana é o maior campeonato do ano".

A copa mais importante é a que você gosta, a que você joga defendendo uma camisa por amor e compromisso. Foi muito legal ver uma Copa do Mundo no Brasil. Bilhões de pessoas assistiram os jogos. Mas nada supera o prazer de entrar em campo com a camisa do time da sua igreja, do seu bairro, da sua turma, disputando a copa que você gosta e que quase não tem público. Seu time é maior que Barcelona e Real Madrid juntos e não há mídia que te convença do contrário.

As coisas mais importantes são as suas, as que Deus te deu. Popularidade, dinheiro e fama do futebol profissional não se comparam ao sentimento que você tem pelo seu time. Então, vista a camisa com garra e determinação e curta a Copa Americana, a maior competição do planeta com os melhores times do mundo. Se alguém discordar, não é problema nosso.

2014: Um ano difícil

O ano de 2014 será daqueles atípicos. Em janeiro voltamos das férias e das festas. Haja conta para pagar e quilos para perder. Até março empurramos o ano com a barriga, sem trocadilhos com os quilos ganhos nas festas. Teremos então carnaval e aí começa o atípico. Muitos detestam esta festa popular, criticam governos que investem em escolas de samba, desfiles, etc. Para essas pessoas o feriado é mais do que prolongado.

Depois do carnaval o Brasil não falará outra coisa que não seja Copa do Mundo. E esse assunto vai até julho, para desespero dos que não gostam de futebol. Alguns vão até protestar por causa de estádios superfaturados, mas já erguidos, ou seja, protesto inútil. Serão meses de um peso imenso. Terão de ouvir sobre Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar, Pelé, Fifa, Blatter e cia. Bolões serão oferecidos, tabelas encontradas em cada comércio. Surtarão cada vez que descobrirem o preço de um novo estádio. E não vai adiantar torcer contra, apelar no Facebook com fotos de hospitais degradados. A maioria do país vai mesmo parar para assistir a Copa.

A bola deixará de rolar em julho. Do que falaremos incansavelmente até outubro? Eleições. Será uma disputa gigante entre petistas e tucanos por governos estaduais e a presidência da república. Muitos não gostam de partidos, não aguentam políticos, acham todos corruptos, anulam votos e até pensam em protestar nas ruas, mas serão interrompidos por black blocs que quebrarão tudo contra algo que nem mesmo eles saberão o que é.

Após as eleições teremos apenas novembro e dezembro para terminar o ano. Resta-nos planejar as festas e as férias novamente. Se você é daqueles que não gosta de carnaval, detesta futebol, se incomoda com os gastos da Copa e não consegue olhar para os políticos, terá duas opções. Uma é aproveitar os eventos. Pode participar trabalhando, se divertindo, lucrando e até aprendendo. Outra opção é tentar bater de frente com os que gostam e vão trabalhar, se divertir, lucrar e aprender. Neste caso, sinto muito, mas este será o pior ano da sua vida. Eu estarei na turma da primeira opção e acredito num inesquecível 2014.

Como os verdadeiros servos agem

O mundo define grandeza em termos de poder, posses, prestígio e posição. Se puder exigir que as outras pessoas o sirvam, você chegou lá. Em nossa cultura egoísta, com sua mentalidade do 'eu primeiro', agir como servo não é uma noção apreciada. Jesus, entretanto, mediu a grandeza em termos de serviço, e não de posição social. Deus avalia nossa grandeza pela quantidade de pessoas que servimos, não pela quantidade de pessoas que nos servem. Isso é tão oposto à idéia de grandeza do mundo que é difícil compreender, quanto mais praticar. Todos querem liderar, mas ninguém quer ser servo. Mas ser como Jesus é ser servo. Foi assim que ele chamou a si mesmo.

Deus o formou para servir, e não para ser egoísta. Sem o coração de servo você será tentado a empregar mal sua forma, usando-a para vantagens pessoais. Você será também tentado a usá-la como desculpa, para se eximir de satisfazer algumas necessidades. É comum que Deus teste nosso coração, pedindo-nos que sirvamos em modalidades para as quais não somos habilitados.

É possível servir na igreja durante toda uma vida sem jamais ter sido servo. Deve-se ter o coração de servo. Se você só serve quando lhe é conveniente, então não é um servo de verdade. Verdadeiros servos fazem o que é necessário mesmo quando é inconveniente. Servos não dão desculpas, não deixam para a última hora, nem esperam circunstâncias melhores. Simplesmente fazem o que precisa ser feito. Seu coração de servo se revela em pequenos atos que outros nem pensam em fazer.

Todas as semanas, igrejas e outras organizações são obrigadas a improvisar, porque os voluntários não se prepararam, não apareceram nem mesmo ligaram para dizer que não viriam. Você pode estar servindo no anonimato em algum lugar pequeno, sentindo-se desconhecido e sem valor. Deus o pôs onde você está por um propósito. Mesmo o menor serviço é reconhecido por Deus e recompensado.

O texto acima é parte do capítulo 33 do livro "Uma Vida Com Propósito", de Rick Warren, Editora Vida, uma excelente meditação que reflete a real situação dos ministérios cristãos atuais. Há uma exaltação aos líderes celebridades enquanto servos são vistos como menos capacitados. Há poucos servos para trabalhar na obra de Deus. Seja você um deles.

Vírus! Cuidado! Você já pode estar contaminado

É o fim dos tempos. O Armagedon. O Apocalipse. Agora não tem volta. As profecias estão se cumprindo e o mundo segue rumo ao fim. Esteja preparado. A mais nova prova disso é a descoberta de um novo vírus, avassalador, que altera monstruosamente a parte do cérebro responsável pela racionalidade, fazendo com que os contaminados tenham atitudes impensáveis para qualquer pessoa comum. O vírus C.A.d.F. é altamente contagioso e atua nos seus hospedeiros em questão de horas. E o pior. A pessoa só percebe que seu diagnóstico é crítico quando já não há mais nada a fazer. O contágio se dá de várias formas. A mais comum delas é o contato com pessoas já contaminadas. O melhor remédio, portanto, é evitar em qualquer hipótese esse contato ou será tarde demais.

A situação para nós ficou ainda mais complicada quando cientistas do Departamento de Infectologia da UNICAMP, os descobridores do vírus, divulgaram a região onde ele foi descoberto. Se você sentiu neste instante um frio na espinha imaginando estar perto dele, acertou. O primeiro caso de contaminação foi na cidade de Americana, Estado de São Paulo, e se espalha rapidamente para outras cidades do interior e até para o Brasil. Logo vira um epidemia. Os cientistas chegaram a conclusão de se tratar de um novo vírus quando examinaram uma pessoa que, entre vários sintomas, apresentava claros sinais de satisfação aos sábados, após horas e horas de contato com outras pessoas que corriam com camisas e calções coloridos atrás de um objeto esférico. Ainda se abraçavam alegremente cada vez que esse objeto passava por debaixo de três postes brancos com uma rede presa neles. Mas não foi só isso. Durante a semana, essa mesma pessoa acessava várias vezes um site específico somente para ver mais e mais pessoas correndo atrás deste objeto esférico, para desespero de seus familiares.

O vírus não tem cura e atua mais efetivamente no segundo semestre de cada ano. Esse fenômeno ocorre desde 1995, possível ano do surgimento desta terrível praga. Quanto maior o grau de contaminação, maior os atos irracionais cometidos. Ou alguém em sã consciência seria capaz de deixar um filho recém nascido de três dias em casa e viajar de moto para outra cidade somente para correr atrás desse objeto esférico. Ou ainda, em que situação está a mente de um sujeito que tira do próprio bolso em média R$ 1.000,00 só para poder participar dessa reunião bizarra. Ficar sem almoço, deixar de sair com a namorada ou a mulher sozinha em casa são outros sintomas comuns. O caso mais grave é de um sujeito que dedica o ano todo atrás dessa coisa estranha e que fica feliz da vida quando vê mais de 400 contaminados reunidos curtindo cada segundo de suas insanidades. São horas e horas, dias e dias de dedicação a algo lhe causa alguns xingamentos e destemperos. Os cientistas ficaram sem explicações lógicas.

Se você chegou até aqui possivelmente já esteja contaminado. "Ah, mas eu não tive contato com ninguém", pode estar pensando. O C.A.d.F., também conhecido como Copa Americana de Futebol, é altamente contaminante e contagiante. Faça parte dessa turma de doentes. Contamine-se com esse vírus.

Jogar como cristão

A palavra cristão se refere a todo indivíduo que segue o cristianismo, que tem uma vida centrada nos ensinamentos de Jesus Cristo. Em 2010 jornalistas da France Télévisions gravavam um documentário no vestiário do Plenitude quando o técnico do time pediu a seus atletas para jogarem como cristãos. Foi quando o jornalista perguntou o que seria jogar como cristão, uma das frases mais ouvidas nos vestiários da Copa Americana. Veja o que a Palavra de Deus diz sobre isso:

Respeito às autoridades - A Bíblia nos ensina em Romanos 13.1-2: "Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação". Na Copa alguns jogadores não ouvem as instruções de seus diretores e treinadores, não aceitam o banco de reservas, não gostam de ser substituídos e tratam árbitros e organizadores com desrespeito. Quem age assim está trazendo condenação a si mesmo diz o texto.

Avareza e desobediência - Jesus conversava com seus discípulos quando foi indagado sobre pagar ou não impostos. Em Lucas 20.24-25 Jesus dialoga assim: "Mostrai-me um denário. De quem é a efígie e a inscrição? Prontamente disseram: De César. Então, lhes recomendou Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus". Impostos e taxas são instituídos por Deus através das autoridades escolhidas por Ele. Os diretores das equipes têm em suas mãos um ministério que engrandecem o Reino de Deus, mas eles quase sempre pagam as taxas da competição sozinhos. Muitos atletas se recusam a ofertar R$ 5,00 ou R$ 10,00 por partida numa atitude de arrogância, como se fossem estrelas, e deixam tudo para o diretor. Quem não compartilha um gasto no seu time não consegue ser fiel em seus dízimos e ofertas.

Amor ao próximo - É quase que um bordão nos jogos. Em Mateus 5.43-45 Jesus fala como devemos amar: "Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos". Pior que ter que amar inimigos e criá-los onde não existem. Há pessoas que insistem em criar os seus próprios inimigos na Copa Americana. Basta uma jogada mais forte e pronto. Está declarado um novo inimigo. É fácil sair de campo cumprimentando adversários e árbitros quando se é vencedor. A dificuldade é abraçar o "cara" que te deu o pontapé e dizer "Um abraço, Jesus te ama" ou se aproximar do árbitro e sem cobrá-lo de lance algum desejar-lhe um simples bom final de semana.

Atitude diabólica - Veja o que está escrito em Mateus 5.37: "Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno". Essa ordem de Jesus é simples e direta. Há dezenas de atletas interessados em jogar a temporada, mas basta chegar o dia do jogo e o dirigente sofre para conseguir ter um time decente. Atletas afirmam que vão comparecer e no dia da partida não aparece com uma lista de desculpas. Se prometeu cumpra sua palavra. Se não fizer assim estará cometendo uma atitude satânica, pois assim diz a Palavra do Senhor. E usar "compromisso na igreja" como desculpa é pecar duas vezes.

Somente na glória eterna deixaremos de pecar, mas estamos negligenciando muito a Palavra de Deus. Se quisermos jogar como cristãos devemos respeitar as autoridades da Copa, ajudar na organização de nossos times e principalmente cumprir nossa palavra. Se eu vou, vou. E ponto final. Ou estarei do lado do Maligno.

Voltar

Copyright ©
Todos os direitos reservados para UEFE